Home » Reconversão profissional » 10 Dicas para uma reconversão profissional com sucesso

10 Dicas para uma reconversão profissional com sucesso

A certa altura das nossas vidas, é normal que mudar de emprego seja uma opção. A reconversão profissional pode ser motivada por vários fatores. De acordo com um inquérito realizado pelo Joblist, as razões mais comuns para um profissional ponderar mudar de carreira são: 

– Ter um melhor salário (47%) 

– Ter um trabalho menos stressante (39%) 

– Ter melhor equilíbrio entre a vida pessoal e profissional (37%) 

– Vontade de agarrar um novo desafio (25%) 

– Falta de gosto ou de paixão pelo ramo de atividade (23%) 

Independentemente do motivo, esta transição nem sempre é fácil. É um processo desgastante, que envolve algum planeamento e alguma preparação mental e emocional. Por esse motivo, neste artigo, reunimos 10 dicas que o podem ajudar a mudar de carreira de forma mais fácil. 

1 – Avalie o seu nível de satisfação no trabalho

É natural que todos os profissionais passem por momentos de maior ou menor motivação. É importante conseguir refletir sobre estes estados para perceber se o mau estar permanece por períodos de tempo mais prolongados. Por isso, mantenha o hábito de registar num caderno algumas notas sobre como foi o seu dia. Registe o tipo de reações de teve perante determinadas situações e analise-as. Tente perceber que partes do seu trabalho gosta mais e quais aquelas que o deixam menos feliz. O ato de escrever não só vai ajudá-lo a analisar a situação em que se encontra, como é uma prática associada à meditação e à psicoterapia. Escrever um diário ajuda a gerir a ansiedade, reduzir o stress e combater a depressão. 

10 Dicas para uma reconversão profissional com sucesso

Ler mais: Inseguro sobre a mudança de carreira? Esteja atento a estes 6 sinais

2 – Saiba quais são as suas competências e os seus valores-chave

Analise o seu percurso e tente listar os seus interesses, os seus valores e as suas mais-valias. Pense em trabalhos anteriores ou em projetos nos quais se envolveu e identifique os seus pontos fortes. Estar consciente deles é uma parte importante do processo de autoconhecimento e do controlo sobre a sua carreira. Conhecer e analisar os seus pontos fortes, vai fazer com que consiga continuar a cultivá-los e a usá-los mais facilmente no dia a dia. Por conseguinte, fará com que uma potencial reconversão profissional seja mais fácil e tranquila.  

10 Dicas para uma reconversão profissional com sucesso

Analise igualmente quais são os seus valores-chave e tente entender se os mesmos continuam alinhados com os princípios que defende a sua empresa. Este é um aspeto fundamental para que se sinta enquadrado no projeto e para que tenha um propósito no trabalho que entrega.

3 – Considere uma carreira alternativa

Falámos acima da importância de conhecer os seus pontos fortes e as suas competências. Mas conhecer também os seus interesses é igualmente importante. Isto porque, felizmente, muitas das suas competências vão ser “transferíveis” e podem ser postas em prática numa área de atividade ou numa função diferente. Imagine que é um profissional com grandes competências relacionais e de comunicação. Pode, em vez de trabalhar no departamento de marketing de uma empresa de seguros que o aborrece imensamente, trabalhar no ramo imobiliário como consultor imobiliário independente. Assim, continuaria a usufruir e apostar nas suas competências, num ramo de atividade do seu interesse e agrado. 

10 Dicas para uma reconversão profissional com sucesso

Ler mais: Porquê ser consultor imobiliário iad? Descubra 5 razões

4 – Invista em formação 

A formação é vital quer para as empresas, quer para os indivíduos que as constituem. Sem ela, rapidamente qualquer profissional se torna obsoleto. Hoje em dia, a informação é gerada e partilhada à velocidade da luz e o que é tido como certo e relevante hoje, amanhã já vai estar ultrapassado. É necessário que invista na sua formação técnica e profissional, para se manter um recurso humano relevante no mercado de trabalho. Dada a saturação do mesmo, apenas os profissionais mais qualificados vão conseguir progredir e ser mais competitivos. 

formação no imobiliário

Isto é válido para todos os profissionais, contudo, torna-se particularmente relevante para aqueles que pretendem mudar de carreira. Assim, antes de considerar a reconversão profissional, garanta que tem a formação adequada e suficiente para abraçar o próximo desafio com sucesso. Ainda por cima, o acesso à informação está, hoje em dia, altamente facilitado. Por exemplo, a formação no imobiliário é, no caso da iad, gratuita e pode ser realizada online, no conforto da sua casa. Com tantas possibilidades e tantas soluções, parar de aprender, nos tempos que correm, não é uma opção. 

5 – Seja realista em relação às suas finanças

Por muita vontade que tenha de mudar de carreira e de abraçar novos desafios, deve manter a cabeça fria a ser realista em relação às suas finanças pessoais. Os períodos de transição nem sempre são fáceis ou correm de acordo com o planeado, por isso, é importante que tenha a noção do estado de saúde das suas finanças pessoais. Uma situação de estrangulamento financeiro pode fazer com que perca o foco nos seus objetivos a médio e longo prazo. Se não estiver confortável financeiramente, o mais provável é que passe a ficar mais preocupado em sobreviver e pagar as contas ao fim do mês, do que em progredir nas suas ambições profissionais. Por isso, analise a sua situação de forma realista e prepare-se financeiramente para o caso desta transição profissional demorar mais tempo do que o previsto.

Finanças pessoais

6 – Defina um plano de transição

Quando falamos em definir um plano de transição, não significa necessariamente um plano financeiro. Naturalmente, o plano financeiro vai assumir um papel central neste processo, mas é necessário planear a outros níveis. Concentre o seu plano de mudança de carreira em 3 etapas distintas:

  • A primeira etapa pode ser, por exemplo, os primeiros 30 dias. Durante este período, faça todo o trabalho inicial: escreva uma carta de motivação, atualize o seu portefólio ou CV, atualize as suas redes sociais profissionais, etc. 
  • A segunda etapa será um período entre 30 e 60 dias. Esta é uma etapa intermédia, durante a qual pode adaptar o seu CV e a sua carta de motivação para cada posição em específico a que se quer candidatar. Faça networking e participe em eventos que proporcionem o contacto com outros profissionais. Faça a análise do progresso referente à primeira fase. 
  • Por fim, na terceira fase, que vai dos 60 aos 90 dias, poderá fazer follow up aos contactos que estabeleceu na segunda fase e às oportunidades a que se candidatou. Se necessário, reveja os seus objetivos e o seu plano. 
mudança de carreira

Encontre um mentor no qual confie e que o ajude a manter a motivação e lembre-se de que, em média, um período de reconversão profissional varia entre 1 e 3 meses. Não desanime! O segredo está em planear bem e em definir pequenos objetivos que o façam sentir que está a fazer progressos.

7 – Explore bem a sua rede de contactos e tente expandi-la 

Sabia por que é que fazer bom networking com todos aqueles que estão à nossa volta é tão importante quando se procura mudar de carreira

Primeiro, porque uma abordagem relacional é sempre mais eficaz do que o envio de um CV ou de uma carta de motivação, que são tão impessoais. Segundo, porque as vagas de emprego tendem a reunir dezenas (se não centenas!) de candidaturas, o que faz com que seja muito mais difícil destacar-se dos profissionais concorrentes. Por fim, porque o seu trabalho de sonho pode nem sequer estar a ser promovido ou comunicado! Neste sentido, lembre-se de que fazer bom networking faz toda a diferença. Explore a sua rede de contactos ao máximo e participe em eventos relacionados com a sua área. Não seja tímido na abordagem a pessoas e, sempre que possível, aposte em entrevistas informais. 

Ler mais: 8 Sinais de que o empreendedorismo imobiliário é para si 

8 – Utilize redes sociais profissionais para desenvolver a sua marca pessoal 

Aposte na promoção do seu perfil profissional, sobretudo em redes sociais como o LinkedIn. Sabia que mais de 90% dos recrutadores utilizam o LinkedIn como ferramenta para encontrar candidatos para as suas vagas? Por isso, é realmente importante que trate tão bem o seu perfil LinkedIn como trata o seu CV. Mostre todo o seu conhecimento e experiência (académica e profissional) à comunidade LinkedIn e construa credibilidade e confiança. Para isso, pode fazer as avaliações de competências disponíveis e pode pedir para receber recomendações de colegas com quem já trabalhou. Siga empresas e perfis de pessoas que lá trabalham e faça a prospeção de oportunidades e vagas no LinkedIn. Junte-se a grupos relacionados com os seus interesses ou áreas de especialidade e, acima de tudo, interaja com a comunidade! Afinal de contas, estamos a falar de uma rede social. 

Utilize redes sociais profissionais para desenvolver a sua marca pessoal

9 – Reveja o seu plano de reconversão profissional com um mentor

Falámos acima da importância de elaborar um bom plano para mudar de carreira. Contudo, sugerimos que este plano seja revisto por um mentor em quem confie. Pode desenhar um plano de reconversão profissional robusto e pormenorizado mas, por exemplo, se não tiver as competências técnicas ou académicas necessárias para o cargo que deseja, esse plano não vai ser de grande ajuda.

Reveja o seu plano de reconversão profissional com um mentor

Fale com alguém que o possa aconselhar e dar um parecer externo sobre aquilo que planeou. Se tirar um novo curso faz parte do seu plano pode falar, por exemplo, com o consultor pedagógico da universidade ou do estabelecimento de ensino em questão. A partir do momento em que der o passo em frente, vai querer minimizar os riscos e ter a certeza de que tem um plano realista. 

10 – Não tenha medo da rejeição ou do fracasso

Saber lidar com a rejeição é fundamental durante a fase de transição. Ao sair da sua zona de conforto é inevitável que isto aconteça. Por norma, os 3 cenários abaixo são os mais frequentes: 

  1. Envia dezenas de candidaturas e cartas de motivação e, mesmo quando acha que o seu perfil vai exatamente ao encontro do que procuram, não recebe qualquer resposta ou feedback do outro lado;
  2. Recebe uma resposta a informar que o número de candidaturas foi muito elevado e que não vão prosseguir com o seu processo de recrutamento;
  3. Ou, após ter feito uma entrevista, informam-no que optaram por outro candidato com mais experiência. 
Não tenha medo da rejeição ou do fracasso

Todos estes cenários vão acontecer e é necessário interiorizar que estas experiências vão ser parte natural do processo. Por isso, é fundamental que se mantenha positivo, que tente, sempre que possível, obter feedback construtivo para identificar eventuais pontos de melhoria e que se foque nas suas conquistas! 

Ler mais: A importância de ser agente imobiliário em Portugal